Fundos de ações

São fundos que investem no mínimo 67% de seu patrimônio em ações negociadas na bolsa.

Os fundos de ações são tipos de investimento com maior risco, portanto ter um perfil de investidor mais arrojado é o primeiro passo para ingressar nesse grupo.

Outra característica importante é que este tipo de investimento é mais indicado para o longo prazo e sua liquidez varia de acordo com a política do fundo. Além disso, há tributação (IR) de 15% sobre a valorização da cota do fundo, retido já na fonte.

Agora que já elencamos alguns pontos principais, vamos simplificar para você como funciona um fundo de ações: imagine um grupo de pessoas que resolve investir em ações, mas não tem conhecimento, tempo ou mesmo disposição para pesquisar as melhores ações disponíveis para investimentos no mercado, quais os riscos, etc. Esse grupo de investidores reúne-se e escolhe um gestor para fazer esse trabalho. Obviamente esse gestor recebe uma renumeração por fazer isso: a chamada taxa de administração.

Agora supondo que esse gestor fez boas escolhas e atingiu determinado patamar de ganhos, então ele também receberá uma taxa de performance, um bônus vamos assim dizer, por ter feito um bom trabalho.

Mesmo não administrando sua carteira de investimento em fundos de ações, alguns cuidados básicos são importantes na hora de investir:

– Pesquise por taxas menores;

– Verifique a diversidade da carteira. Isso pode ser feito através da CVM, pois essas informações são públicas.

– Veja o histórico de performance do fundo e pesquise sobre o gestor do fundo, para perceber a qualidade do profissional no processo de investimento.

Ficou na dúvida se investir em ações ou fundo de ações é melhor para você? Então assiste ao vídeo do Canal do Investidor onde explicamos quais as vantagens e desvantagens de cada um.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *